Publicações do Mestrado da FIPECAFI

Este espaço, tem por objetivo disponibilizar estudos aplicados e publicações que foram realizados por nossos estudantes, individualmente ou com a coautoria de professores, em periódicos, em congressos, ou outros eventos, como forma de contribuir com a difusão do conhecimento gerado pelo programa de mestrado profissional da FIPECAFI.

Para você, gestor, controller e contador de organizações que lidam com concessões, uma ferramenta para auxiliar no tratamento contábil de relicitações!

Em 2017 foi promulgada a lei 13.448 que prevê o processo de Relicitação para os contratos de concessão pública federal. Considerando a legislação vigente e os normativos contábeis, pode-se constatar duas possibilidades para avaliação do ativo de concessão envolvido em relicitações: (i) manutenção do registro contábil do ativo intangível; ou (ii) transferência do ativo intangível para o ativo financeiro. Pensando nisso, nosso mestre Daniel Fernandes, sob orientação da Profa. Dra. Juliana Ventura Amaral, defendeu sua dissertação propondo um modelo de análise com o objetivo de auxiliar os gestores privados das concessionárias e seus controladores. Um produto tecnológico, no formato de árvore de decisão, foi trazido para direcionar o tratamento contábil a ser empregado pelas empresas concessionárias no que se refere aos ativos de concessões em processos de Relicitação. Essa árvore de decisão pode ser baixada gratuitamente. Clique aqui e baixe agora!

40 Downloads

Para você, empresário de micro e pequena empresa, uma ferramenta para auxiliar nas decisões de preços!

No momento de definir os preços, inúmeras variáveis devem ser analisadas em conjunto para guiar a melhor decisão. Informações de custos, concorrência e valor merecem ser consideradas. O problema é que muitas vezes é difícil agregar essas variadas informações em um único lugar, especialmente em micro e pequenas empresas, nas quais nem sempre há sistemas informatizados. Pensando nisso, nosso mestre Edson Clementino da Silva, sob orientação da Profa. Dr. Juliana Ventura Amaral, defendeu sua dissertação mostrando que a presença de instrumentos de suporte pode melhorar a decisão de preços. Ademais, ele trouxe como produto tecnológico um modelo para definição de preços na forma de planilha. Essa planilha pode ser baixada gratuitamente aqui e usada por todos que quiserem para agrupar informações, realizar simulações e promover cálculos visando o melhor preço definido. Clique aqui e baixe agora!

74 Downloads

O Gerenciamento de Riscos e o Planejamento Estratégico

Publicado no periódico Future Journal por Corinto Lucca Arruda, Fernando Menchini e Prof. Paschoal Tadeu Russo .

Nesta pesquisa foi desenvolvido (teoricamente) e testado (empiricamente) um instrumento que possibilita avaliar a influência da gestão de riscos corporativos no planejamento estratégico. Para isso, foi desenvolvido um modelo por meio da integração do Enterprise Risk Management [ERM] (COSO, 2017) e das etapas do Planejamento Estratégico (diagnóstico estratégico, formulação da estratégia, implementação da estratégia, e avaliação e controle da estratégia). O instrumento evidenciou a percepção dos respondentes sobre a relevância da influência da Gestão de Riscos Corporativos sobre o Planejamento Estratégico, possibilitando identificar diversas oportunidades e iniciativas que contribuem para a integração entre essas práticas de gestão. Assim, recomenda-se o uso do instrumento de avaliação desenvolvido nesta pesquisa, por empresas que buscam integrar elementos de gestão de risco em seu planejamento.

394 Downloads

Associações entre Cultura Organizacional, Sistemas de Avaliação de Desempenho e Nível de Parceria da Controladoria

Este artigo estudou as associações entre modelo de cultura organizacional, modo de atuação da controladoria e amplitude do sistema de avaliação de desempenho. O artigo inova ao estudar de forma conjunta esses três construtos, num momento que se reconhece a cultura organizacional como um elemento importante na construção do sistema de avaliação de desempenho. O estudo é baseado em respostas de uma amostra de 89 empresas brasileiras não financeiras. Os dados foram tratados por meio da estatística multivariada, especificamente as técnicas ANOVA e HOMALS. Os resultados permitem concluir que existe associação, com significância estatística entre cultura organizacional e nível de parceria da controladoria e entre este e a amplitude dos sistemas de avaliação de desempenho. Também concluiu-se que não há associação entre a cultura organizacional e a amplitude dos sistemas de avaliação de desempenho

377 Downloads

Apresentado e publicado no XIX USP International Conference in Accounting por Marília Janaina da Silva Bassi, Paschoal Tadeu Russo, José Carlos Tiomatsu Oyadomari, e Maria Thereza Pompa Antunes



Planejamento estratégico como ferramenta de gestão no Instituto Brasileiro de Governança Corporativa

Pesquisa realizada na Fipecafi demonstra que o IBGC está alinhado com os principais indicadores de conformidade social empreendedora, propostos pela EMES ( Emergence of Social Enterprises in Europe -EMES)

Teve como objetivo o desenvolvimento e aplicação de um modelo capaz de avaliar o alinhamento de empresas de acordo com os principais indicadores de conformidade social, propostos pela EMES. Os indicadores foram utilizados em cada uma das etapas do processo de planejamento estratégico.

448 Downloads